Gingando pela Paz no Haiti

Relatos de um capoeirista em terras haitianas

Sobre o Saudade

 

 

  

Natural de São Gonçalo, Rio de Janeiro, nascido em 1977, graduando em comunicação social pela Unicarioca, artista plástico, contramestre em capoeira, premiado em salões de arte do Centro Cultural de São Gonçalo e Forte de Copacabana (2007); Co-autor do livro “Como Vencer a Pobreza e a Desigualdade” (Folha Dirigida e Academia Brasileira de Letras – ABL – 2008); vencedor do concurso de poesias “Qual é a da Capitu?” (Faculdade CCAA – 2008).

Iniciou na arte da capoeiragem em 1990, com o mestre Marcos Wagner, de quem ainda é aluno, em um projeto social oferecido pela prefeitura de São Gonçalo. Foi participante em 1998 do Serviço Civil Voluntário, projeto da Ong Viva Rio que beneficiou 3.600 jovens em situação de risco social em 104 comunidades do Rio de Janeiro.

Em 1998 realiza sua primeira viagem ao exterior para o Zimbabwe, África. E em 1999 como voluntário, participa de um intercâmbio promovido pelo projeto Luta Pela Paz entre Brasil e Alemanha. Ao final deste mesmo ano volta à Africa, Cape Tonw, quando é convidado para a área de eventos do Viva Rio, onde permanece por 5 anos. Representa o Viva Rio ainda em eventos na Espanha e Irlanda do Norte, propagando sempre a capoeira, sua história e benefícios. 

Em 2003 elabora o projeto Gingando pela Paz, após promover a participação de diversos grupos de capoeira em eventos do Viva Rio. Dentre eles, os abraços à Praia de Ramos, Botafogo e da Lagoa. Em 2005, com o apoio do Acervo Cultural de Capoeira da UFRJ, promove a I Caminhada Gingando pela Paz. Sim pela Capoeira. Sim pela vida, que reuniu cerca de 700 capoeiristas na orla de Copacabana pela proibição do comércio de armas no Brasil.

Hoje coordena a implementação de um núcleo do GPP em Porto Príncipe, Haiti, que objetiva compartilhar saberes, aproximar as culturas, bem como formar educadores haitianos em capoeira, para que eles dêem continuidade as atividades do GPP naquele país.

17 Respostas to “Sobre o Saudade”

  1. rax said

    Soy Rachel JEANTY DE Union School. Nos encontramos a la fiesta Internacional y yo le invite al Dia Nacional de los Ninos a Save the Children para el dia 12 de junio. Quisiera confirmar con usted.
    Gracias
    Rax
    raxcollection@gmail.com

  2. E isso ai Saudade, bom trabalho, e disso que precisamos, introduzir a capoeira nesses trabalhos sociais, fazendo com que a capoeira e cidadania cheguem juntos e futuramente a capoeira seja reconhecida de verdade como um trabalho de inclusão social.
    Parabens e boa continuação com sua galera aí no Haiti. Lua

    • flaviosaudade said

      Prezado Mestre, fiquei imensamente feliz pelo seu comentário, de verdade. Para mim particularmente foi como um prêmio valioso.
      A nossa arte cresceu, mas penso que a sua contribuição para a humanidade será ainda maior. Não me sai do pensamento as palavras
      do mestre Pastinha quando ele disse que “a capoeira é para evoluir o espírito”. Definitivamente essa frase é um mantra, um norte para mim.
      E é assim que a tenho e a sinto. O reconhecimento é uma luta de todos nós, pois infelizmente muitos ainda não conseguem enxergar a magnetude
      dessa ciência, dessa filosofia que chama capoeira. Mas, chegaremos lá, eu tenho Fé!

      Agradeço de coração e aproveito para lhe parabenizar pelo belo trabalho que pude conferir no seu blog. Se me permitir irei colocar um link dele aqui.

      Fraternal Abraço

  3. Katia said

    Olá! Encontrei o seu blog através de uma busca por projetos sociais que utilizam a capoeira para desenvolvimento social e reconciliaçāo comunitária. Me interessei muito mesmo no seu projeto e adoraria descobrir uma maneira de fazer a mesma coisas aqui em Timor-Leste.

    O Timor-Leste tem uma história atormentada, sendo o segundo-mais-novo país do mundo, e que ainda conta com milhares de tropas internacionais para manter a paz. Mas agora, o desiquilíbrio é social mais do que político, e mais e mais estamos vendo que muitos dos problemas continuam através de gangues de jovens. E muitas vezes o que une essas jovens sāo as artes marciais.

    A minha ONG está elaborando projetos nos bairros mais vulneráveis da Capital, focalizando em concientizaçāo e fortalecimento de capacidades pela paz. Temos várias idéias mas ainda poucos fundos e poucos recursos humanos com experiência nesta área.

    Eu já passei um tempinho com um projeto de capoeira na Síria (“Capoeirarab”) que integra refugiados palestinos e iraquianos, e que está sendo um grande sucesso. Entāo pensei que aqui pode ser ainda mais efetivo, sendo que o sistema educacional do Timor-Leste está adotando português como a língua de toda a educaçāo formal e entāo estāo fortalecendo muitos vínculos entre este país e o Brasil.

    Enfim, gostaria muito de te fazer várias perguntas sobre como bolar um projeto, se seria mesmo viável neste contexto, etc.

    Se tiver disponabilidade para me ajudar neste sentido, por favor, me escreva: patrianoceu(at)gmail_ponto_com.

    Obrigada e te desejo tudo de bom!

    Kátia

  4. flaviosaudade said

    Prezada Ruchina,

    Estou muito feliz em receber o seu comentário, muito mesmo! E irei te responder pelo seu e-mail, tudo bem?

    Fraterna Abraço

  5. Flávio,

    Trabalho com projetos sociais no Brasil e no exterior desde 2003. Sou capoeira e atualmente estou fazendo uma pesquisa sobre Capoeira e inclusão social como parte do meu doutoramento. Além disso, escrevo um blog (em inglês) sobre iniciativas sócio-educativas e assuntos relacionados à Capoeira.

    Gostaria muito de entrar em contato com você para fazer uma entrevista e publicá-la em meu blog.

    Por favor, entre em contato por email para que possamos dar continuidade à essas idéias caso elas lhe interessem.

    Parabéns pelo trabalho! Muito axé e luz nesse momento aí!

    Eurico

  6. Muito axé, Saudade,

    com meus 3 filhos Corisco, Picolé e Lulú, tenho um grupo de Capoeira nao-comercial em Munique chamado Todos Os Santos.

    Em todos os momentos difíceis, a Capoeira sempre deu forcas para lutar. Desenvolví um sistema natural de orientacao e tenho p. ex. um pequenp projeto rodando em Manaus http://www.ManausOnline.com/turismo_ptturistico.asp .

    Gostaria de coloca-lo a disposicao para o Haiti comecando pela capital
    http://www.volksnav.com/PortAuPrince
    http://www.tinyURL.com/PortAuPrince
    http://www.volksnav.com/mobiPauP

    O sistema inclusive gera trabalho e empregos. Voce tem algum acesso as autoridades ou outros contatos relevantes?

    Grato de antemao pela boa vontade

    Piu-piu
    volksnav@volksnav.de

  7. Lagarto said

    Irmão bom dia !
    Vendo seus comentários no seu blog, da vontade de catar o meu Berimbau e ir até aí fazer alguma coisa.

    Mas o seu trabalho é impressionante, de bom. Quando estou de saco cheio da Capoeira e tudo que envolve ela ao nosso redor. Entro no seu Blog e leio e releio. E penso nossa o Saudade faz tudo isso com a Capoeira e eu fico aqui na Metropole SP, reclamando e reflito muito sobre tudo.

    Saudade tenho muito orgulho de ver seu trabalho. Sempre divulgo seu trabalho para todos, para mostrar a competencia na capoeira e na cultura afro-brasileira.
    Muita força energia e acima de tudo resistencia.
    Axé irmão
    Lagarto

  8. Monique Antes said

    Mestre Saudade, trabalho grandioso ai no Haiti hein, não sei se lembra de mim, fomos em setembro para ai, filmamos uma roda de capoeira com o senhor e os soldados, sargento Italo da Marinha lembra e jamais me esqueço do que disse: “Vcs não são pobres, vcs somente tem dificuldades…” seu depoimento esta em nosso documentario e é uma das partes que mais emociona pela palavras ditas la do fundo do coração, estou voltando dia 09 pro Haiti, agora dia 09 de Março, ainda não sei onde ficarei desta vez, aceito sugestões, mas faço questão de lhe entregar pessoalmente uma copia do nosso documentario, pq o senhor é um exemplo de um cidadão que se pode ter orgulho. Obrigado por existir na vida deste povo e dar esperanças a eles, sua luta é nobre e levo comigo o dono de uma instituição que quer fazer parceria pra mandar mantimentos para Haiti, quem sabe a Viva Rio e a Caritas não se ajudam, um arrecada e o outro distribui. Se puder me responde como faço para lhe encontrar ai, o senhor ainda da aulas naquele ginasio de zinco, com a escrita, na parede “falou aqui, morreu aqui”…

  9. Oi Saudade,

    Nao achei outro contato pra me comunicar com voce. Faco capoeira com Cordao de Ouro em Londres e Nativos de Minas em Bogota, e a gente tem um projeto parecido ao seu na Colombia, pode ver no website em http://www.nukantifoundation.org.

    Vou pra Haiti em duas semanas por 3 meses pra um trabalho com a ONU, e gostaria muito te conhecer, e claro seu trabalho! Se puder me mandar um email a niousha@nukantifoundation.org, agradeceria muito! Brigada! Abraco

  10. mestre marcos wagner said

    saudade, como seu mestre, sinto muito orgulho de vc, pelo seu caráter, personalidade e pelo seu trabalho q vc desenvolve com essaz crianças e jovens no HAITI e que tive o prazer de conhecêlos. Que DEUS ilumine sempre os seus caminhos. um grande abraço de seu mestre MARCOS WAGNER M. DE PAULA.

    • flaviosaudade said

      Querido mestre, eu é quem tenho orgulho de ser o seu aluno, e agradeço a Deus por ter te encontrado. Guardo sempre comigo tudo quanto aprendi e aprendo com o sr. É como uma bússola que consulto sempre e carrego no coração. Saiba que o sr. está sempre presente aqui, quando o berimbau toca, em cada ginga, em cada movimento de corpo, em cada sorriso de nossas crianças… Deus lhe tenha sempre sob a Sua proteção meu querido mestre. Esperamos você em dezembro. Vai se preparando! [risos] Abraço apertado do seu aluno, Saudade

  11. e um prazer encontra um juego nome do capoera eu gusto capoera muito e pra que eu fue aprende capoera so um futuro capoera junior amigo do michel nigerio saudade

    • flaviosaudade said

      Oi Junior, seja bem-vindo a familia. Siga em frente no seu aprendizado pois a Capoeira tem muito para lhe oferecer.

      Ie Capoeira!

      Saudade

  12. Wanderson Isac said

    Bom, li um pouco sobre você e sobre o que você já fez por esse povo do Haiti. Estarei me formando em Jornalismo no ano que vem (2012) e para tanto temos que fazer um trabalho de conclusão de curso (TCC). Decidimos fazer um video documentário ( eu e mais 3 pessoas). O tema que pretendemos fazer é: Função do Exército Brasileiro no Haiti, ou seja, a importanância das forças militares brasileiras e a reconstrução do Haiti. Claro, não queremos nos deter apenas a isso, mas essa é a linha mestra.

    Bom, gostaria de saber como fazemos para conseguirmos ir, nós temos praticamente um semestre para nos preparar. Estamos procurando algo direto com o exército, e gostaria de saber se você teria alguma ideia de como conseguir isso, se você teria alguma dica para nos dar.

    Gostaria muito de uma resposta sua…desde já agradeço.

    Wanderson Isac

    • flaviosaudade said

      Ola Wanderson, como vai? Desculpe pela demora.
      Voce pode tentar conseguir atraves da FAB, Forca Aerea Brasileira. Eles fazem voo com frequencia para o Haiti.
      Precisando de mais alguma coisa, estaremos aqui.

      Fraternal Abraco,

      Flavio Saudade

  13. Penny said

    I read this post completely, and there’s some great points on how to budget. Great article.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: