Gingando pela Paz no Haiti

Relatos de um capoeirista em terras haitianas

A Arte pela Vida. A Vida pela Arte.

Posted by flaviosaudade em 19/01/2010

 

Segunda, 18 de janeiro, 5:30pm

 

Crianças caminham em Kay-nou

 

As crianças hoje estavam mais calmas quando cheguei, pelo menos não vieram todas se dependurar em mim. Assim que chegamos falei com algumas, encontrei outros, graças a Deus. Sempre um reecontro especial. Algumas estão habitando algumas praças do entorno e foram dizer que estavam bem. 

Assim que chegamos fomos tentar identificar algum local onde fosse possível realizar as nossas atividades. Em nosso antigo espaço, sem chance. Abaixo, pior ainda, pois apesar de as paredes terem permanecido de pé, diversas rachaduras comprometeram a estrutura do prédio. Lá for a, um sol quente, cada vez mais ao se aproximar ao meio-dia. 

Caminhamos um pouco até que resolvemos olhar as instalações na entrada de Kay-nou. Muitas no mesmo estado, oferecendo risco. Indo mais à frente, em fim, encontramos. É uma pequeno espaço, bem menor do que estávamos acostumados, é bem verdade, com sol a maior parte do tempo, mas é suficiente para oferecer alguma atividade com as crianças – que são muitas, devo dizer – e não oferece risco de desabamento. Nele haviam grandes sacos que era utilizados para recolhimento de lixo; muito sachês de água e garrafas. Logo, veio-me a idéia de realizar pequenos trabalhos com as crianças utilizando as garrafas; confecções de carrinho, cata-vento, aviões, em fim. 

Alunos confeccionando pulseiras

 

As garrafas também servirão para identificar as crianças. Pensávamos bastante em como iríamos organizar os grupos por faixa etária e conduzí-los em ordem até o espaço das atividades; em diversas formas de identificação e organização para envitar confusão, até que surgiu a idéia de confeccionar braceletes das garrafinhas. Mãos à obra, e no final da tarde já tíanhamos em torno de 700 braceletes. 

Com as atividades, esperamos minimizar a carga de estresse ao qual elas estão sendo submetidas e, através da arte e de suas inúmeras ferramentas, oferecer uma alternativa para que elas superem o trauma pelo qual passaram.

 A arte pela vida. A vida pela arte.

Anúncios

4 Respostas to “A Arte pela Vida. A Vida pela Arte.”

  1. Ilana Signorelli said

    Flávio, parabéns pela aula de solidariedade que vocês estão dando para o mundo.
    Beijos
    Ilana

  2. Silvana said

    Fantástico!!!

    Tudo que é feito com amor é marcante! Parabéns!

  3. isabel gomide said

    Que lindo Flavio! A arte pode salvar muitas vidas da desgraça. Parabéns pelo seu trabalho de tentar introduzir de novo o lúdico na vida dessas crianças para que saiam da dura realidade. Nem que seja por um pequeno espaço de tempo, elas precisam disso.
    Força!

  4. Rute said

    que bonito son os sorrisos dos haitianos…que bom e seu trabalho…esperho irme ala esse ano para sorreir e gingar com voces…tal vez conseguirames os passagems para que um joven de nosso grupo podje ir conmigo para aprender de suas metologias…nos persisa trabalhar mas em o ambito social ja que nossa grupo esta bem unido e forte…e o tempu nao so para crecer mas crecer bem…Soarte e forca…esperho que tudos os sonhos colectivos de voces darian certo esse ano! Axe e paz!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: